domingo, 23 de setembro de 2012

Degolas à gaúcha


Tropas vindas dos pampas destacaram-se na Guerra de Canudos por seus trajes exóticos e sua extrema violência na execução dos sertanejos


Jacqueline Ahlert


O sangue dos sertanejos ainda estava fresco nas lâminas gaúchas enquanto o general Artur Oscar escrevia a Ordem do Dia de 6 de outubro de 1897, concluída com a saudação: “Viva a República dos Estados Unidos do Brasil! Está terminada a Campanha de Canudos!”.


Soldados recrutados nos pampas foram um reforço especial na quarta expedição do governo republicano ao vilarejo baiano, que, surpreendentemente, resistia ao Exército Brasileiro, ao qual impusera três humilhantes derrotas. Os combatentes gaúchos chamaram a atenção tanto por suas vestimentas exóticas como pela violência com que participaram da vitoriosa investida. Suas lanças e espadas carregavam a tradição de barbárie das recentes guerras ocorridas no Sul.


Em seus 11 meses de duração, a Guerra de Canudos mobilizou cerca de 12.000 soldados, oriundos de 17 estados brasileiros. As unidades militares sul-rio-grandenses foram recrutadas apenas para a quarta e última expedição. Estima-se que mais de 25.000 pessoas morreram em consequência de toda a ação bélica – entre soldados do Exército Nacional (contabilizados em 5.000), “sertanejos”, mulheres e crianças.


Fonte: Revista de História

Nenhum comentário: