terça-feira, 2 de outubro de 2012

2 de outubro de 1992: O massacre do Carandiru

02/10/2012 - 00:00 | Enviado por: Lucyanne Mano


A ação da tropa de choque da Polícia Militar paulista, para controlar a rebelião de presos amotinados no Pavilhão 9 - onde ficavam confinados os detentos de alta periculosidade - da Casa de Detenção de São Paulo durou cerca de meia hora, mas resultou em verdadeiro massacre.

Antes da invasão o clima já estava tenso: havia gritos e barulho de explosões. Até que uma briga entre presos de facções rivais deu início à barbárie que ganhou dimensões de guerra depois que a PM invadiu o pavilhão, em que estavam cerca de 2.100 detentos. Pressentindo que a polícia tomaria o local, os presos chegaram a erguer barricadas nos corredores de acesso, estouraram tubulações do sistema hidráulico, cortaram a energia elétrica e atearam fogo em colchões. Não foi o suficientes. A força policial prevaleceu, e os presos acabaram sufocados por bombas de gás lacrimogênio, seguidas por rajadas de metralhadoras.

Para continuar lendo clique aqui.
Fonte: JBlog

Nenhum comentário: