domingo, 27 de janeiro de 2013

654 - Últimos colonos holandeses no Brasil são expulsos de Pernambuco


Em 26 de janeiro de 1654, após o cerco de Recife, os holandeses residentes em Pernambuco capitulam diante dos portugueses. Era o fim do ‘‘Brasil Holandês’’, uma aventura que durou oficialmente 24 anos.

Em seguida à morte do rei de Portugal, Dom Sebastião, o rei da Espanha, Filipe II, torna-se igualmente rei de Portugal em 1580. O pequeno reino lusitano e suas colônias, entre elas o Brasil, encontraram-se inapelavelmente implicados na Guerra de Oitenta Anos entre as Províncias Unidas, o nome à época do Reino dos Países Baixos, a Holanda, contra a Espanha.

Wikimedia Commons

Num primeiro momento, alguns holandeses colocam o pé no Brasil e lançam escaramuças sem qualquer consequência. A fundação da Companhia Holandesa das Indias Ocidentais em 1621 marca uma guinada: os holandeses organizam expedições cada vez mais importantes e melhor organizadas contra o Brasil, tendo por objetivo a conquista das plantações de cana de açúcar.

Em 10 de maio de 1624, tropas holandesas tomam Salvador, na Bahia, mas de lá são expulsas um ano mais tarde. Cinco anos mais tarde, uma nova expedição dirige-se desta vez contra Pernambuco. A campanha é bem sucedida e, entre 1630 e 1635, os holandeses conquistam toda a região costeira em torno de Recife e Olinda.

Wikimedia Commons
Holandeses desembarcando em Maurícia  (Recife)

Para administrar Pernambuco, a Companhia envia uma importante figura, João Maurício de Nassau, com o título de governador. Nassau logo demonstra suas grandes ambições em relação à colônia. Logo de início empreende a conquista de Angola, na África Austral, a fim de controlar o tráfico de escravos. Em seguida, reorganiza a administração e tenta ganhar para si os portugueses, baseado numa política de abertura e de tolerância religiosa. Funda igualmente uma cidade, Maurícia (atual Recife).

João Maurício de Nassau, eminente representante da Idade de Ouro holandesa, convida pintores para tornar conhecida na Europa a nova colônia em terras americanas.

Entretanto, o surgimento de tensões com a Companhia, desejosa de auferir lucros máximos em curto prazo, obrigou o ilustre governador a regressar em 1644 aos Países Baixos.

Wikimedia Reprodução - Franz Post
Holandeses foram uns dos primeiros a ilustrarem o Novo Mundo, como essa pintura do rio São Francisco 

Os holandeses, porém, não conseguem se instalar duradouramente na região: suas plantações mantêm rendimento inferior àquelas dos portugueses e o fluxo de imigrantes mostrava-se insuficiente. Além do mais, os brancos do Brasil, apoiando-se nos indígenas e nos negros, levam a cabo uma guerra de desgaste contra os holandeses, considerando-os heréticos.

Em paralelo, os portugueses, que haviam recuperado sua independência da Espanha, retomam Angola em 1648. A partir de então, o Brasil Holandês derretia como neve ao sol até desapaerecer completamente com a capitulação,  em janeiro de 1654.

Wikimedia Commons - Os Tapuias (1640), por Albert Eckhout 

Ao deixar a colônia, os holandeses, não obstante, levaram consigo as técnicas de fabricação do açúcar, que iriam desenvolver nas Antilhas Holandesas. Uma feroz concorrência iria se estabelecer entre as Antilhas e o Brasil na produção e exportação do produto o que levaou a uma dramática queda de preços.

Os holandeses, por sua vez, deixaram ao sair alguns pôlderes - planície protegida por diques contra inundações e utilizada na agricultura e na habitação – na bacia inferior do rio São Francisco.

Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário: