quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Fazendo História com a pesquisa, por Gean Zimermann da Silva


Importância da Pesquisa para a 
formação acadêmica do Professor-Historiador

Gean Zimermann da Silva
Bolsista CNPq (Agosto /Julho 2013)
Orientador: João Carlos Tedesco

O curso de História da Universidade de Passo Fundo (UPF) tem como formação principal o encaminhamento à docência, ou podemos dizer a licenciatura, mas, dentro do curso os professores “abrem” espaços para os acadêmicos ingressarem na pesquisa, como foi o meu caso, em outras palavras, o curso forma tanto para a licenciatura quanto para a pesquisa. A prática de se fazer uma pesquisa, agrega e muito na formação acadêmica de qualquer estudante, ainda mais se for do curso de História, principalmente em dois pontos: o primeiro contribuiu para a melhora da oralidade (apresentação de trabalhos) e o segundo ponto, a escrita aprimora e o seu vocabulário aumenta -  isso que estou colocando e afirmando aconteceu comigo de uma forma notável.

Muitas vezes entender a História não é fácil, pois estudar o homem no tempo é muito difícil, mas, simultaneamente aparecem desafios que nos fazem continuar e tentar saber mais sobre um determinado assunto. Acredito que é assim que funciona a pesquisa, ainda mais no campo de concentração do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) - História Regional. A pesquisa em si, vem para terminar com os “velhos chavões” que existem sobre a História, por exemplo, “a História é só coisa que já aconteceu, tudo a mesma coisa”, essa afirmação está equivocada, pois, cada historiador tem o seu modo de ver o mundo e de interpretar os fatos, ou seja, a História apesar de alguns historiadores a considerarem uma ciência, não pretende defender uma verdade absoluta e o máximo que conseguimos fazer é uma interpretação e uma reconstituição próxima de algum fato histórico.

A experiência que estou tendo na pesquisa com o projeto Conflitos Sociais no norte do RS: índios, negros e colonos, com o professor doutor João Carlos Tedesco está ajudando e muito na minha formação acadêmica, aliás, o meu rendimento nas aulas tem aumentado consideravelmente, como já citei na escrita e principalmente na oralidade, tendo em vista que meu orientador abre espaços para que eu possa apresentar algumas leituras na revisão de bibliografia. O estudo aborda os conflitos sobre demarcações de terras na região de Passo Fundo - atualmente são treze conflitos, sendo doze entre índios e colonos e 1 sobre negros e colonos. 

A pesquisa na qual estou inserido está abrindo “leques” de oportunidades, por exemplo, apresentações orais na Mostra de Iniciação Cientifica (MIC) e na 1ª Mostra de Pesquisa em História, além de realizar outro modo de coleta de informações por meio da pesquisa de campo, assim conversando com quem realmente está inserido nos conflitos. A pesquisa aumenta o currículo de um historiador e o conhecimento adquirido é grandioso, uma experiência única. Até o momento estou feliz de fazer parte desse projeto, tenho somente a agradecer ao meu orientador pela oportunidade e pela confiança depositada, as pessoas que me guiaram e a todos que me incentivam a progredir ainda mais.

Nenhum comentário: