quarta-feira, 13 de março de 2013

Referendo aprova soberania britânica nas Ilhas Malvinas


Moradores optam de forma quase unânime pelo Reino Unido. Argentina, que há anos reivindica a posse das ilhas, diz que o referendo não tem valor legal.
Os moradores das Ilhas Malvinas votaram a favor de permanecer uma colônia britânica num referendo de dois dias encerrado nesta segunda-feira (11/03). Foi uma resposta das autoridades locais à Argentina, que reclama há anos a soberania sobre o arquipélago.
"Esta é seguramente a mensagem mais forte que queremos enviar ao mundo", afirmou Roger Evans, um dos oito membros da Assembleia Legislativa das Malvinas, conhecidas na Europa como Falklands.
Em Londres, a embaixadora da Argentina, Alicia Castro, reagiu alegando que o referendo não tem valor legal. Acrescentou ainda que Buenos Aires respeita a identidade dos habitantes das Ilhas, seu estilo de vida e o fato de quererem ser britânicos, "mas o solo onde vivem não o é".
A votação favorável ao Reino Unido foi quase unânime. Um total de 98,8% dos malvinenses responderam sim à pergunta se desejavam ou não continuar como território ultramarino dependente do Reino Unido – apenas três pessoas votaram não. Cerca de 92% dos 1.649 pessoas com direito a voto participaram do referendo.
A Argentina pede autoridade sobre as Ilhas Malvinas desde 1833. A disputa já causou uma guerra entre os dois países, em 1982, com a morte de centenas de soldados.
MC/rtr/lusa

DW.DE

Nenhum comentário: