sexta-feira, 5 de abril de 2013

1949: Criação da Otan


Assinava-se o acordo para criar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), uma estrutura de defesa ocidental durante a Guerra Fria. Seis anos depois viria a resposta do bloco soviético: o Pacto de Varsóvia.
Na cerimônia de assinatura da criação da Otan, o então presidente dos Estados Unidos, Harry Truman, ressaltou tratar-se do primeiro passo para garantir a paz e a segurança na comunidade das nações. O acordo previa a ajuda mútua no caso de uma agressão por terceiros. Aliás, a agressão contra qualquer um valia como ataque a todos os demais.
Um dos objetivos da organização foi coletivizar a defesa, para que não se tornasse assunto nacional e sim de interesse regional. A aliança militar, entretanto, não se restringiria a assuntos bélicos. Previa, também a cooperação nas áreas econômica e cultural, englobando os projetos de "peace keeping" e "peace support", para garantir a paz duradoura.
Da Guerra Fria às novas guerras
Logo após o final da Segunda Grande Guerra, começou a Guerra Fria, protagonizada pelos dois grandes blocos ideológicos Estados Unidos e União Soviética. Enquanto os norte-americanos sentiam-se ameaçados com a política expansionista soviética, Moscou temia a política do "isolamento" dos Estados Unidos.
Em 1955, o bloco da Europa do Leste criou sua aliança militar, o Pacto de Varsóvia. Seguiu-se uma acirrada briga armamentista, com a perigosa escalada da ameaça nuclear.
Com a derrocada da União Soviética e o fim do Pacto de Varsóvia, nos anos 90, a Otan ajustou suas prioridades à nova ordem mundial.
  • Autoria Michael Marek (rw)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://dw.de/p/1HhU

Nenhum comentário: