segunda-feira, 1 de abril de 2013

Acervo do DEOPS é digitalizado disponibilizado na internet

Arquivo Público do Estado de São Paulo publica a partir deste primeiro de abril quase um milhão de imagens de fichas, prontuários e dossiês em site público

No dia em que o Golpe Militar de 1964 completa 49 anos, o Arquivo Público do Estado de São Paulo em parceria com o projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça publica oficialmente na internet uma importante parcela do seu acervo. A partir de hoje, qualquer pessoa pode acessar, entre outros documentos, mais de 274.105 fichas digitalizadas, além de 12.874 prontuários, produzidos pela Delegacia Estadual de Ordem Política e Social, DEOPS-SP (1923-1983); pelo Departamento de Comunicação Social (1983-1999); e pelo DOPS de Santos. Todo esse acerco, que levou dois anos para ser digitalizado e que consumiu mais de R$ 400 mil pode ser acessado no site “Memória Política e Resistência” (clique aqui).


Esta publicação online facilita o acesso do cidadão à documentação do Estado que lhe diz respeito - das fichas publicadas, boa parte é nominal, ou seja, fichas pessoais -, e ao mesmo tempo abre uma fonte de pesquisa a estudiosos, jornalistas e público em geral. Trata-se de resgatar uma importante parte da história do país que aconteceu nos bastidores.

Segundo o coordenador do Arquivo Público, Carlos Bacellar, a publicação desta parcela do acervo na Internet sinaliza a ampliação do acesso à informação, no espírito da Lei Federal no 12.527, e do Decreto Estadual no 58.052, que a regulamenta. “O esforço de digitalização e publicação dos documentos do DEOPS vem neste sentido, assim como nosso trabalho de gestão documental, que garante o acesso da população às informações que lhe dizem respeito. E este trabalho não vem de hoje: garantimos o acesso à documentação do DEOPS desde 1994”.

A publicação destes documentos está apenas começando, mas pelo menos uma parte do acervo digitalizado já causou impacto: os livros de portaria do DEOPS, onde ficavam registradas as entradas de agentes da repressão e visitantes. Levados ao conhecimento da Comissão Estadual da Verdade, esses livros suscitaram uma série de questionamentos: entre os registros, constavam visitantes do Consulado dos EUA e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Independente de descobertas bombásticas como essas, a utilidade social do acervo vem sendo provada no dia-a-dia do atendimento aos consulentes no Arquivo Público.

A digitalização do acervo do DEOPS acontece hoje, primeiro de abril de 2013, no evento MEMÓRIA DIGITAL: Os Arquivos do DEOPS de São Paulo na Internet. Ele contará com a presença de Paulo Sérgio Pinheiro, presidente da Comissão Nacional da Verdade; Paulo Abrão, secretário nacional da Justiça e presidente da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça; Marlon Weichert, procurador regional da República; Ivan Akselrud de Seixas, representante da Comissão Parlamentar Estadual da Verdade; Adriano Diogo, deputado estadual e presidente da Comissão Parlamentar Estadual da Verdade; Rogério Sotili, secretário municipal de Direitos Humanos de São Paulo, e Vladimir Sacchetta, presidente da Associação de Amigos do Arquivo e membro do Núcleo de Preservação da Memória Política.

Fonte: Café História

Nenhum comentário: