sexta-feira, 26 de abril de 2013

Após 18 anos, presidente sérvio pede perdão por massacre de Srebenica

O presidente sérvio, Tomislav Nikolic, pediu o perdão de seu país pelo massacre de Srebrenica (leste da Bósnia), ocorrido em julho de 1995 e provocado por forças militares sérvias, e considerado um genocídio pela justiça internacional. A declaração do chefe de Estado ocorreu durante uma entrevista a uma emissora de televisão bósnia, que deverá ser transmitida na íntegra no próximo 7 de maio – apenas alguns trechos foram anunciados, para fins de divulgação.

"Me ajoelho e peço que perdoem a Sérvia pelo crime cometido em Srebrenica", declarou Nikolic, que em junho do ano passado havia negado o genocídio. Uma fonte da Presidência sérvia confirmou as declarações do presidente.

O presidente, no entanto, disse que a justiça internacional ainda não respondeu se o crime que ocorreu em Srebrenica foi um genocídio. "Tudo o que acontecia nas guerras da antiga Iugoslávia tinha características de genocídio", afirmou. "Peço perdão pelos crimes que, em nome de nosso Estado, alguém de nosso povo tenha cometido", disse.

Em 11 de julho de 1995, meses antes do fim da guerra civil na Bósnia de 1992-95, que lutava por sua separação da então Iugoslávia, as tropas sérvias no país, lideradas por Ratko Mladic, assumiram o controle de Srebrenica, uma área de maioria muçulmana que, em 1993 havia sido proclamada "zona protegida" pela ONU. Em poucos dias foram assassinados quase 8 mil homens e adolescentes, em um massacre considerado genocídio pela justiça internacional.

A eleição de Nikolic como líder sérvio, no ano passado, despertou receios nos Bálcãs devido ao seu passado ultranacionalista, embora este político tenha moderado sua postura em 2008 e se alinhado a favor do ingresso de seu país na União Europeia. Nikolic já negou anteriormente que o massacre de Srebrenica tenha sido um genocídio, apesar de ter reconhecido que o ato foi um crime impossível de ser justificado.

Segundo o site bósnio Klix.ba, Nikolic anunciou que em breve visitará Srebrenica.

(*) com agências de notícias internacionais

Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário: