sexta-feira, 3 de maio de 2013

3 de maio de 1933: Brasileiras, eleitoras e eleitas

03/05/2013 - 00:00 | Enviado por: Lucyanne Mano

"O dia de hoje marca, para a mulher brasileira a data histórica de um triunfo memorável: pela primeira vez vai ela exercer o direito do voto. Pela primeira vez, politicamente emancipada, vai a mulher colaborar com o homem na escolha de uma Assembléia Constituinte e, eleitora e elegível, pela primeira vez, vem ela trazer o apoio, consciente e livre, de sua opinião, cooperando ativa e diretamente na organização da vida política do país". Jornal do Brasil

Os brasileiros foram às urnas para eleger a Assembléia Nacional Constituinte, responsável pela elaboração de uma nova Carta Magna para o país. Em virtude do Código Eleitoral promulgado em fevereiro de 1932, pela primeira vez em âmbito nacional as mulheres puderam participar tanto na qualidade de eleitoras como na de candidatas. Muitas se candidataram. As eleitoras, no entanto, não demonstraram com os seus votos confiança na força feminina. Apenas uma deputada foi eleita, por São Paulo: a médica Carlota Pereira de Queiróz. A feminista Berta Lutz ficou na suplência, pelo Distrito Federal. Além dos deputados eleitos, a Assembléia contou com 40 representantes classistas, escolhidos de sindicatos de trabalhadores e patronais. Dentre eles, pelo Distrito Federal, Almerinda Farias Gama assegurou a participação feminina como delegada sindical.

Para continuar lendo clique aqui.
Fonte: JBlog

Nenhum comentário: