quinta-feira, 2 de maio de 2013

Adeus, Churchill


Foi em um 1º de maio em que o ex-Premier britânico se aposentou. Afastado de aparições públicas há um tempo, o anúncio de que não voltaria mais a governar da Grã-Bretanha foi apenas uma formalidade

Bruno Garcia
1/5/2013
No dia 1º de Maio de 1963, há exatos 50 anos, se aposentava o lendário ex primeiro ministro britânico Winston Churchill. Ao anunciar que não tomaria parte nas próximas eleições, Churchill encerrava sua longa e notável carreira parlamentar. Ele entrou na Casa dos Comuns pela primeira vez em 1900, quando tinha apenas 26 anos. A partir dai ocupou vários cargos administrativos, como subsecretário das colônias em 1905 e ministro do comercio em 1908.
Foi durante o período ‘entre guerras’, no entanto, que Churchill ganhou notoriedade pela efusiva campanha na contra o nazismo. Denunciando o rearmamento alemão, Churchill defendiavque a Inglaterra investisse no setor militar e se preparasse para resistir a uma possível ameaça dos nazistas. Apesar de estigmatizado como belicista pelo espírito pacifista e ingênuo encampado pelo premiê Neville Chamberlain, sua previsões finalmente se confirmaram com a invasão da Polônia pelos exércitos nazistas em setembro de 1939.
Aos 65 anos de idade, e poucos meses depois do inicio da Guerra, Churchill assume o cargo de Primeiro Ministro que o tornaria lendário. Logo de cara,usou todo seu talento como orador em discursos inflamados conclamando seu povo à resistência. Enquanto isso, procurou se aproximar dos Estados Unidos para que entrassem no conflito, o que se mostrou decisivo. A vitória aliada e seu desprezo pela União Soviéticao coroaram como grande inimigo do totalitarismo e símbolo da democracia ocidental. Permaneceu no seu cargo até o fim da guerra, ou até que o partido trabalhista decidisse pelo fim da coalização dos tempos do conflito. Voltaria à cadeira depois da vitória dos conservadores, em 1951, mas aos 76 anos, e a saúde frágil, não seu segundo mandato não foi tão memorável.
Em 1955 proferiu seu último discurso como chefe do governo, mesmo ano em que sua estátua foi inaugurada em Londres. Suas aparições e discursos no parlamento se tornaram cada vez mais raros. Aos poucos, saía de cena aquele que seus compatriotas consideram um dos maiores britânicos de todos os tempos. O anúncio de 1963 da despedida derradeira foi quase uma formalidade. Morto em Janeiro de 1965, Churchill permanece como um dos mais notáveis e lembrados políticos do século XX e símbolo de uma Inglaterra triunfante nos seus anos mais críticos.

Nenhum comentário: