sábado, 15 de junho de 2013

Projeto Resgate de Documentação Histórica Barão do Rio Branco (Projeto Resgate)


Histórico do Projeto Resgate
O Projeto Resgate de Documentação Histórica Barão do Rio Branco (Projeto Resgate) foi criado institucionalmente, em 1995, por meio de protocolo assinado entre as autoridades portuguesas e brasileiras no âmbito da Comissão Bilateral Luso-Brasileira de Salvaguarda e Divulgação do Patrimônio Documental (COLUSO). Tem como objetivo principal disponibilizar documentos históricos relativos à História do Brasil existentes em arquivos de outros países, sobretudo Portugal e demais países europeus com os quais tivemos uma história colonial imbricada.

Desde 1996, o Ministério da Cultura coordena o Projeto Resgate, iniciativa bilateral Portugal/Brasil conduzida no contexto das comemorações dos 500 anos do descobrimento. O significado e importância da proposta residem no apoio à preservação da memória histórica nacional e na democratização do acesso ao patrimônio documental brasileiro. Teve ampla participação da comunidade científica, de empresas privadas e de várias instituições estatais, nos dois lados do Atlântico (agências de fomentos à pesquisa, universidades, secretarias de estado da cultura, prefeituras, fundações, arquivos estaduais, Ministérios da Cultura, da Ciência e Tecnologia e das Relações Exteriores etc.). Mais de 110 instituições públicas e privadas, brasileiras e portuguesas e mais de uma centena de pesquisadores desenvolveram iniciativa sem precedentes na preservação em meio digital dos suportes documentais da memória nacional.

Aproximadamente 150.000 documentos dos sécs. XVI-XIX (cerca de 1,5 milhão de páginas manuscritas) relativos a 18 capitanias da América portuguesa e depositados no renomado Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa (AHU) - o maior acervo de documentação colonial brasileira no exterior - foram descritos, classificados, microfilmados e digitalizados. Publicaram-se 20 catálogos em 27 volumes, quatro guias de fontes e 380 CD-ROMs de documentos digitalizados. O penúltimo catálogo da documentação (Capitania da Bahia) está no prelo. No Brasil, os arquivos estaduais receberam cópia microfilmada da documentação pertinente ao passado colonial de seus respectivos territórios e a Biblioteca Nacional acolheu toda a coleção de microfilmes.

Projeto Resgate em Conteúdo Digital

A disponibilização do Projeto Resgate na internet é uma realização do Projeto Resgate em Conteúdo Digital, desenvolvido pelo Centro de Memória Digital em parceria com o Ministério da Cultura (MinC). O projeto capacitou-se para captar recursos da Lei de Mecenato por meio da portaria no 696, de 19 de dezembro de 2002, e contou com patrocínio integral da Petrobras. Em junho de 2003, quando o Ministro Gilberto Gil fez entrega da primeira edição do kit de CD-ROMs do Projeto Resgate, tornou-se pública a aprovação do apoio financeiro da Petrobras. Na primeira fase do projeto, que teve início em agosto de 2003 e encerrou-se em 2005, o CMD disponibilizou o conteúdo do primeiro kit de CD-ROMs, que não compreendia a documentação das capitanias do Rio de Janeiro, da Bahia e de Pernambuco, e desenvolveu a primeira versão do portal, do banco de dados e do sistema de pesquisa e de visualização de imagens.

A segunda etapa do Projeto Resgate em Conteúdo Digital foi contemplada no edital Petrobras Cultural de 2005/2006, concluindo-se em 2009. Incorporou a documentação complementar da segunda versão do kit de CD-ROMs doProjeto Resgate, relativa aos acervos das capitanias de Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro, e desenvolveu nova versão do portal e do sistema de pesquisa e de visualização de imagens. As alterações resultaram em agilidade e economia do tempo na pesquisa e no download de imagens, contribuindo para conferir maior facilidade de acesso às informações e ao banco de dados. Os dois primeiros números da revista História Digital constituem memorial, na forma de dossiê, doProjeto Resgate e do Projeto Resgate em Conteúdo Digital.

Nenhum comentário: