terça-feira, 16 de julho de 2013

15 de julho de 1985: O lançamento do livro Brasil: Nunca Mais

15/07/2013 - 10:00 | Enviado por: Lucyanne Mano



Com o efeito de uma operação supresa, chegava àslivrarias o mais completo dossiê sobre a tortura no Brasil durante o regime militar. Brasil: Nunca Mais - Um relato para a a História, precisou de seis anos de pesquisas quase clandestinas para ficar pronto. A recompensa foi a realização de um impecável trabalho sobre a repressão: o que era,quem a sustentava, a quem atingia, até onde ia.

Patrocinado pelo Conselho Mundial de Igrejas, com prefácio de Dom Paulo Evaristo Arns, Cardeal-Arcebispo de São Paulo, o livro não empregou adjetivos. E foi a mais contundente denúncia já produzida até então no Brasil contra a tortura e os tratamentos degradantes à condição humana. Era a primeira vez que se analisava a repressão política sem tomar por base as denúncias das vítimas ou os relatos elaborados por entidades internacionais de defesa dos direitos humanos. A única fonte para o livro foram os processos políticos tramitantes na Justiça Militar brasileira entre abril de 1964 e março de 1997, com ênfase para aqueles que atingiram a esfera do Superior Tribunal Militar. Com isso, renunciou-se à investigação dos inúmeros casos de tortura em que as vítimas não conseguiram vencer a a vergonha de relatar as humilhações por que passaram. Em compensação, calavam-se definitivamente quaisquer desconfiança ou alegações de que são depoimentos tendenciosos, por partirem de pessoas com motivações políticas. Brasil: Nunca Mais analisou os processos contra 7.367 acusados de militância política. Assim, para cada afirmação que se faz,há verdadeira fartura de depoimentos comprovando-a. E é justamente isso que torna o material tão chocante. São 312 
páginas em que, na fria linguagem burocrática, são descritos os mais hediondos crimes que a mente humana pode imaginar.


Para continuar lendo clique aqui.
Fonte: JBlog

Nenhum comentário: