quarta-feira, 3 de julho de 2013

2 de julho de 1981: JB desmente versão oficial do atentado do Riocentro

02/07/2013 - 10:40 | Enviado por: Lucyanne Mano


A versão oficial apurada pelo IPM do I Exército e divulgada dois dias antes pelo seu encarregado, Coronel Job Lorena de Sant´Anna, afirmando que a bomba que explodiu no Puma, na noite de 30 de abril, estava numa bolsa, comprimida entre a porta e o banco do automóvel, dava duas hipóteses à sua explosão: ou ela teria acontecido quando o sargento Guilherme Pereira do Rosário teria, inadvertidamente, tocado a bolsa; ou por um mecanismo de tempo. Tais conclusões chegaram a minúcia de reconstituir um simulacro da bomba e, num desenho, projetado em slide, foi mostrada a posição do artefato.

Tomando como base a lata usada para preparar o petardo, o Jornal do Brasil reconstituiu o simulacro e deparou-se diante de duas alternativas. Reconstituindo as medidas do simulacro, não cabia no carro. A lata deveria ser reduzida a um quinto de sua altura para caber. Em ambos os casos, o volume seria visível e dificilmente passaria despercebida por alguém. O desmonte da versão oficial coube ao trabalho investigativo da dupla de jornalistas Fritz Utzeri e Heraldo Dias.


Para continuar lendo clique aqui.
Fonte: JBlog

Nenhum comentário: