terça-feira, 8 de outubro de 2013

1949 - É instaurada a República Democrática Alemã


Alemanha Oriental, oficialmente República Democrática Alemã (RDA) (em alemão Deutsche Demokratische Republik- DDR) foi um Estado criado em 1940 no território da Zona de Ocupação Soviética, uma das zonas ocupadas pelos vitoriosos da Segunda Guerra Mundial, quando o território alemão foi repartido entre a União Soviética, os Estados Unidos, o Reino Unido e a França. Enquanto a zona soviética daria origem à RDA, a união das outras três daria origem a República Federal da Alemanha (RFA) ou Alemanha Ocidental.
(Estampas oficiais da RDA continham homenagens a personalidades comunistas, como o teatrólogo e escritor Bertolt Crecht)

A RDA foi proclamada em Berlim Oriental em 7 de outubro de 1949. Estabeleceu-se ali um regime socialista, controlado pela União Soviética. Em junho de 1954, após a morte de Stalin, dá-se uma violenta repressão por ocasião da Revolta de 1953 na Alemanha Oriental. Este fato fez com que cerca de três milhões de habitantes da Alemanha Oriental fugissem para a Alemanha Ocidental.
A Alemanha Oriental foi declarada totalmente soberana em 1954. Tropas soviéticas continuaram estacionadas no território com base nos Acordos de Potsdam, tendo em vista contrabalançar a presença militar dos estados Unidos na República Federal Alemã durante a Guerra Fria. A RDA foi membro do Pacto de Varsõvia fundada e organizada para se opor à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).
A Alemanha Oriental foi criada com a sanção do Conselho do Povo Germânico, convocado para proclamar uma “República Democrática Alemã” para a zona soviética, em uma cerimônia realizada no antigo edifício do Ministério da Aeronáutica, em Berlim. A sessão foi aberta por Welhelm Pieck, veterano líder comunista de 73 anos, então presidente do Conselho do Povo e que, segundo as expectativas gerais, seria nomeado presidente da nova república. 
Durante a cerimônia, que contou com a presença inicial de 50 jornalistas alemães e estrageiros e 150 ao final, Wilhelm Pieck anunciou que eleições gerais seriam realizadas na zona soviética em 15 de outubro de 1950 e, em seguida, leu um manifesto no qual constavam as seguintes exigências: a abolição do Estado da Alemanha Ocidental; a abolição doestatuto de Ruhr; a abolição do estatuto de autonomia do Sarre; a criação de um governo democrático para toda a Alemanha; a retirada das tropas de ocupação da República e a unificação da moeda alemã. O manifesto ainda apelou para todos os alemães no sentido de que combatessem a União Européia, o Pacto do Atlântico, os provocadores de guerra, os alemães traidores a serviço do imperialismo norte-americano e os separatistas germânicos.

Ao final da cerimônia, Welhelm Pieck declarou que o Conselho do Povo Germânico deixava de existir e que o Parlamento da República Democrática Alemã era estabelecido a partir daquele momento.

Reprodução WikiCommons

Presidente Wilhelm Pieck e primeiro-ministro Otto Grotewohl, no ano de fundação da RDA


Com uma área de 108.333 km², a RDA limitava-se ao norte pelo Mar Báltico, à leste com a Polônia, ao sul com a atual República Tcheca e ao oeste com a antiga República Federal da Alemanha. Seguindo os princípios marxistas-leninistas, a RDA concentraria nas mãos do Estado toda a planificação, a produção, comércio, serviços e habitações urbanas. Com o tempo, enquanto a Alemanha Ocidental, com pesados aportes financeiros dos Estados Unidos, tornava-se uma das maiores potências mundiais, a RDA amargava diversas dificuldades econômicas, intensificando os contrastes entre a vida dos alemãos orientais e ocidentais.

A reunificação das Alemanhas somente ocorreria em 1990, após o declíneo do governo comunista da RDA e com a queda do muro de Berlim.
Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário: