quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Brasil e Argentina podem ter colaborado em desparecimentos antes da Operação Condor

A Comissão Nacional da Verdade encontrou documentos que reforçam a suspeita de que os serviços de inteligência dos países do Cone Sul já cooperavam na luta contra a “subversão” antes mesmo da Operação Condor. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (09/10) no site oficial do órgão.

Os arquivos descobertos indicam que o desaparecimento do francês Jean Henri Raya, do argentino Antonio Pregoni e do brasileiro Caiupy Alvez de Castro, no final de novembro de 1973, no Rio de Janeiro, pode estar relacionado ao sequestro de dois militantes brasileiros, Joaquim Pires Cerveira e João Batista Rita, em dezembro do mesmo ano, em Buenos Aires. Ambos foram vistos pela última vez em janeiro de 1974 no DOI-CODI carioca, na rua Barão de Mesquita.
Os documentos foram localizados no Arquivo Nacional de Brasília pelo grupo de trabalho Operação Condor e serão apresentados nesta sexta-feira (11/10), às 14h, em audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo. Organizado pela CNV e pela Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva de São Paulo, o evento contará com a presença do secretário executivo do Arquivo Nacional da Memória da Argentina, Carlos Lafforge, e da psicanalista Mabel Bernis Raya, viúva do francês Raya.

"É importante apresentar esse caso ao público brasileiro, pois ele ficou durante muitos anos esquecido, uma vez que, após a anistia, familiares de mortos e desaparecidos brasileiros haviam perdido o contato com a viúva de Raya, cuja família não pediu o reconhecimento de sua situação de desaparecido político no Brasil. Com a divulgação, espera-se que outras pessoas que possam ajudar a elucidar esses desaparecimentos contribuam com a Comissão", afirma o secretário-executivo da CNV, André Saboia Martins.

Em um dos documentos encontrados, o agente do Centro de Informações do Exterior (CIEX) Conrado Avegno relata novidades recebidas de outro informante para o Ministério de Relações Exteriores. De acordo com o oficial, Joaquim Pires Cerveira, militar brasileiro cassado em 1964, banido do Brasil em 1970 e exilado na Argentina desde agosto de 1973, estabeleceu contato com Raya e Pregoni por intermédio da militante argentina de esquerda Alicia Erguren. O documento ainda informa que o ativista francês teria viajado ao Brasil em novembro de 1973 para uma ação em conjunto com o grupo de Cerveira. 
Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário: