sexta-feira, 13 de junho de 2014

Projeto multiplicando livros para Timor-Leste


Objetivo: Realizar uma palestra sobre o contexto histórico, econômico e educacional de Timor-Leste, objetivando aproximar os alunos da UPF a este País ainda pouco conhecido pelos brasileiros. E ao mesmo tempo arrecadar livros de Economia, Educação, Educação Física, Biologia, Língua-Portuguesa, Medicina e literatura, para serem posteriormente enviados para o País, ajudando na formação de uma biblioteca de livros de Língua Portuguesa a serem doados aos alunos da UNTL – Universidade Nacional de Timor-Leste.

Breve contextualização: A ilha de Timor situa-se entre o sudoeste asiático e o Pacífico sul, fica a 500 km da Austrália. A ilha é dividida em Timor Oeste (Indonésia) com limites demarcados, dividindo a ilha com o Timor-Leste, que ficou com uma área de quase 19.000 km2[1]. Timor-Leste possui um histórico longo de dominação colonial, seu território foi colônia portuguesa desde o século XVI; após esse período teve seu território ocupado pelo Japão durante três anos, durante a 2ª Grande Guerra Mundial, sendo por fim invadido pela Indonésia no final do ano de 1975, numa incursão que se prolongou até 1999.
A ocupação da indonésia sob regime ditatorial de Suharto resultou na ocupação mais cruel e sangrenta de sua história. Segundo Forganes (2002) calcula-se que cerca de 300 mil timorenses foram mortos – o que, proporcionalmente ao número de habitantes, corresponde ao maior genocídio depois do holocausto nazista (FORGANES, 2002). Somente em maio de 1999, instalou-se no território a Missão de Assistência das Nações Unidas ao Timor-Leste (UNAMET) buscando a reconstrução do país e a consolidação de um regime democrático.
Segundo afirma Brito (2001) com a consolidação de um país independente e democrático (Plebiscito de 1999), surgiram inúmeras preocupações, como a reconstrução de sua infra-estrutura totalmente destruída, além do governo e da população buscarem a reconstrução de milhares de habitações, resgatarem de uma estrutura econômica e social com base nas melhorias de áreas prioritárias, tais como saúde, alimentação, emprego e educação.
            No ano de 2012 o governo de Timor-Leste iniciou um projeto de remodelação do ensino universitário no país, implantando a obrigatoriedade do ensino de língua portuguesa no ensino superior. O professor de Sociologia Ivan Penteado integrou a primeira equipe de brasileiros enviados ao país, para juntos construírem a identidade curricular no país. Entre os pedidos e anseios recebidos após retorno ao Brasil em 2013, está como prioridade, o envio de livros em língua portuguesa para acelerar o domínio da língua e dos conteúdos científicos em língua portuguesa.   

Justificativa: A presente palestra se justifica, pois objetiva estabelecendo laços de reciprocidade entre Brasil e Timor-Leste, divulgando a importância da história e da cultura deste país longinquo, e arrecadando livros para os alunos de Timor, estes tão carentes de bons livros universitários em Língua Portuguesa.

Materiais e estrutura:

- Divulgação institucional para todos os alunos da UPF;
- Palestra contando como atividade complementar (Certificado);
- Construção de postos de Coleta de Livros para a posterior Doação dos mesmos via Correio para Timor;
- Auditório, microfone, Data-show e computador.
- Lista de inscritos e formação de multiplicadores para divulgarem nos cursos mais afins (História, Filosofia, Letras, Pedagogia, etc);



Palestrantes (a agendar):
Ivan Penteado Dourado (Sociologia – UPF)
Profa Gizele Zanotto (História Contemporânea - UPF)
 Mediadora: Chermaine Rodrigues (Aluna Graduação – História)

Organizadores:
Chermaine Rodrigues (Aluna Graduação – História)
Ivan Penteado Dourado

Apoio: Curso de Graduação em História





[1] Possuindo como parte do seu território um enclave chamado de Oe-Cusse, uma ilha chamada de Ataúro (a 23 km de Díli), e o ilhéu de Jaco. 

Nenhum comentário: