quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Memórias do passado permanecem vivas no presente

Arquivo Histórico Regional da UPF completa 30 anos de dedicação na preservação da história de Passo Fundo e do RS

Foto: Arquivo/UPF
Restauração de documentos é um dos trabalhos diferenciados
Os acontecimentos que marcaram o desenvolvimento das civilizações são importantes para que a sociedade conheça e entenda todas as transformações que o mundo sofreu para chegar a ser o que é atualmente. Ao lado das novas tecnologias, oriundas da globalização, está a história, responsável por acompanhar, registrar e documentar os principais fatos que modificaram e modificam o modo como as pessoas vivem e se relacionam entre si. Com base nessa premissa, a Universidade de Passo Fundo (UPF) dispõe para a comunidade acadêmica e geral o Arquivo Histórico Regional (AHR), que, neste ano, completa 30 anos de existência, com atuação na guarda e conservação de materiais e documentos que fazem parte da história de Passo Fundo e região, bem como do estado do Rio Grande do Sul.

O então Museu e Arquivo Histórico Regional foi criado no ano de 1984, no Campus I, quando foi instalado em uma sala do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, a partir da prospecção de se ter um laboratório de pesquisa para a formação continuada e qualificada dos alunos do curso de História da Universidade. No local, eram realizadas a coleta, a catalogação, a conservação e a higienização de documentos e objetos referentes à história regional, dadas suas especificidades. Posteriormente, o Museu e o Arquivo foram desmembrados e a atuação do AHR foi potencializada e ampliada em 1996, com a mudança do setor para o Campus III, onde permanece. A partir da ampliação do espaço, novas ações passaram a ser desenvolvidas, tais como a restauração de peças do acervo e a disponibilização de informações sobre os fundos documentais.

Segundo a coordenadora, professora Gizele Zanotto, a mudança de espaço derivou de muito esforço pela constituição de fundos documentais de qualidade e variados, possibilitadores de uma análise ampla da sociedade do norte do RS. “Com a ampliação constante do acervo e com o crescimento do acesso aos bens documentais, realizado por pesquisadores, alunos e comunidade, vemos também um impulso no investimento educacional regional em seus vários níveis, assim como a demanda por conhecimento e divulgação realizada por profissionais do jornalismo, direito, por entidades e outros interessados em consultar a documentação mantida no Arquivo”, menciona.

Trabalho diferenciado
Os procedimentos de conservação são realizados em documentos que constituem um acervo rico e variado. Dentre os materiais, destacam-se a documentação de entidades em Arquivos Sociais, como Cruz Vermelha, UPF, Sindicato dos Bancários e dos Comerciários; Arquivos Públicos, com documentos dos três poderes, que reúnem a coleção de Leis do Brasil Império, a coleção de Leis do Estado Novo, documentos da Câmara Municipal de Passo Fundo e de Lagoa Vermelha, e documentos do Escritório local da Secretaria de Terras. Derivado de parcerias com a Justiça, os Arquivos do Judiciário contemplam autos findos da Justiça Estadual da Comarca de Soledade e autos findos da Justiça do Trabalho. Materiais mais consultados, os arquivos de Comunicação Social abrangem periódicos nacionais e locais do início do século XX. Além dessa diversidade histórica, o espaço ainda abriga arquivos pessoais, dentre os quais o do Fundo Mário Menegaz, industrial e político, o Fundo do músico Alfredo Custódio e o Fundo Nicolau Araújo Vergueiro.


Laboratório para produzir conhecimentoO AHR está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) e ao curso de História da UPF e serve como um laboratório de pesquisa e produção de conhecimento para pesquisadores que desejam compreender aspectos históricos locais e estaduais. Segundo a coordenadora do PPGH, professora Ana Luiza Setti Reckziegel, a destacada coleção de jornais e periódicos constituiu fonte de pesquisa de várias dissertações produzidas no curso.
O Programa também tem se valido do acervo do Poder Judiciário, com destaque à Justiça do Trabalho e às questões da formação da propriedade fundiária na região. De acordo com Ana Luíza, fontes submetidas a tratamento histórico revelam informações fundamentais acerca da constituição das relações socioeconômicas do norte do RS.

Parceria que enriquece a história
Ao longo desses 30 anos, o AHR desenvolveu parcerias com outras instituições e entidades. Uma delas é com o Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF), que, em 2014, completa 60 anos de existência. Fundado com o objetivo de estimular os estudos históricos e coletar documentos e fontes sobre a história de Passo Fundo e região para disponibilizar a comunidade, o IHPF firmou um convênio com o AHR, que disponibiliza para pesquisa todo o acervo do Instituto, sob a forma de comodato. Fazem parte dos mais de 16 mil documentos digitalizados, escrituras, atas, fotografias, depoimentos, livros, correspondências, medalhas, troféus, cartas, e acervos e manuscritos dos ex-prefeitos Mário Menegaz e Nicolau Vergueiro, e da professora Delma Gehm. Também estão reunidos os acervos de Nilo Ferreira e Amadeu Goelzer, além de documentos e escrituras do Clube Pinheiro Machado, e várias obras, correspondências e manuscritos de seu fundador, Jorge Edethe Cafruni.


Como forma de celebrar o aniversário de ambas as instituições, várias atividades estão sendo realizadas, como palestras, mesas-redondas e atos comemorativos que evidenciam o comprometimento em relação à preservação da história do Rio Grande do Sul.
 

Nenhum comentário: