terça-feira, 30 de junho de 2015

Lacuma: salvaguarda, pesquisa e produção de conhecimento histórico, cultural e arqueológico

Laboratório de Cultura Material e Arqueologia da UPF atua na preservação e catalogação de acervos, na construção de bancos de dados e no armazenamento de material, contribuindo com a educação patrimonial

Foto: Divulgação/equipe Lacuma/UPF
Escolas participam de atividades de educação patrimonial no Lacuma
Arqueólogos, historiadores, antropólogos e profissionais dedicados aos acervos de cultura material e patrimonial tem à sua disposição o Núcleo de Pré-História e Arqueologia (NuPHA), que se dedica ao ensino, à pesquisa e a trabalhos de extensão em cultura material. O Núcleo constitui um espaço de preservação e construção de conhecimentos histórico-culturais e tem formação em rede e intercâmbio, bem como tem caráter multidisciplinar e articula um fórum de intercâmbio científico. Institucionalmente, está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em História e ao curso de História da Universidade de Passo Fundo (UPF). Operacionalmente, as atividades prático-teóricas do NuPHA são realizadas por meio do seu Laboratório de Cultura Material e Arqueologia (Lacuma).

Atualmente, as atividades do NuPHA e do Lacuma estão sob a coordenação dos professores Tau Golin e Jacqueline Ahlert, do Programa de Pós-Graduação em História. Além disso, conta com o apoio acadêmico (ministrando oficinas e palestras) e técnico dos arqueólogos Fabricio Vicroski e Cristine Mallmann; além do aluno bolsista, Djiovan Vinícius Carvalho.

Lacuma
Conforme o professor Tau Golin, o Lacuma mantém contratos com diversas empresas, em que o NuPHA garante apoio institucional, mantendo instalações físicas de laboratório e guarda do acervo arqueológico para projetos de pesquisas junto ao Centro Nacional de Arqueologia (CNA), ao Departamento de Normas e Licenciamento (Depam) e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “O Lacuma atua na preservação de acervos de cultura material, promove cursos de formação profissional sobre conservação, formação de acervos, limpeza de material iconográfico, lítico e cerâmico, elaboração da documentação gráfica e fotográfica, técnicas de descrição de artefatos arqueológicos, construção de bancos de dados e catalogação dos acervos, acondicionamento e armazenamento do material da cultura material e arqueológica, elaboração de laudos em temas de cultura material”, destaca.


A professora Jacqueline Ahlert comenta que inúmeras escolas têm visitado o Lacuma com o objetivo de compreender alguns dos processos vinculados à Arqueologia e a essa profissão.. “Eles buscam conhecer procedimentos de escavação, higienização, catalogação e salvaguarda do material coletado, mas, sobretudo, para, no âmbito de suas realidades e contextos regionais, conhecer aspectos da história da ocupação territorial, da cultura material remanescentes da presença dos diversos grupos humanos que habitaram a região no decorrer de milhares de anos”, comenta ela.

Segundo ela, as atividades de educação patrimonial constituem uma das principais tarefas do Lacuma e essas ações estão inseridas em um projeto amplo, em uma política para a Cultura, Memória e Patrimônio ligada aos objetivos institucionais da UPF, na sua relação com a comunidade. “Esses diálogos, realizados não somente com as escolas, mas também com alunos do ensino superior, visam construir um leitura de sentido vinculada à compreensão da historicidade do espaço em que os indivíduos inserem-se e apropriam-se, direcionando-se ao reconhecimento e à valorização da diversidade cultural, ambiental, étnica”, frisa.

Visitas
Para o segundo semestre de 2015, estão sendo elaboradas atividades que concentrarão as visitas ao Lacuma na “Semana do Patrimônio”, articuladas com palestras, exposições, reuniões de grupos de pesquisa interinstitucional, oficinas e bate-papos. O evento está previsto para acontecer de 17 a 21 de agosto.


Informações
O trabalho desenvolvido pelo NuPHA pode ser conferido no bloghttps://arqueologiaupf.wordpress.com.


Nenhum comentário: