domingo, 20 de dezembro de 2015

Memórias do AHR discute o movimento operário em Passo Fundo

Passo Fundo e o movimento operário na Primeira República (1889-1930)

Sábado, 19/12/2015 às 09:24, por Arquivo Histórico Regional


Prof. Dr. Alessandro Batistella
Professor do Curso de História – UPF 
      
      Segundo Delma Gehm, a primeira organização operária de Passo Fundo foi a Sociedade Socorros Mútuos União Operária, fundada em 1897, cuja duração efêmera aglutinava os operários da cidade e os que trabalhavam na construção da estrada de ferro, concretizada em 1898. Provavelmente, como seu próprio nome já indica, tratava-se de uma entidade mutualista. 
      As associações mutualistas e de socorro mútuo foram as primeiras formas de organização da classe operária no Brasil, surgindo na primeira metade do século XIX com fins assistenciais e de ajuda recíproca em casos de doenças, acidentes, velhice, etc. 
      No início do século XX também surgiram em Passo Fundo algumas associações de caráter étnico, que desempenhavam, ao mesmo tempo, atividades recreativas, esportivas e culturais. Dentre elas, a Sociedade Italiana de Mútuo Socorro, fundada em 1901, a Deutscher Verein (ou Sociedade Alemã), fundada em 1913, o Clube Visconde do Rio Branco, fundado em 1916 e que reunia os afro-brasileiros, e a Sociedade Sírio-Libanesa, fundada em 1930, mas de curta duração.    
       Além das associações de caráter étnico, no mesmo período surgiram em Passo Fundo algumas organizações operárias. Dentre elas, talvez a mais importante tenha sido a Sociedade Operária Beneficente, fundada em 1909. Nos editoriais d’O Nacional da década de 1920, há um significativo número de artigos noticiando as atividades desta Sociedade, que, naquela época, era uma associação apolítica e nitidamente mutualista e beneficente, como seu próprio nome indicava. Durante a década de 1920, um das figuras mais influentes da Sociedade Operária era o advogado João Junqueira Rocha, que, inclusive, a presidiu diversas vezes. Posteriormente, Junqueira Rocha se converteu ao comunismo (1931) e ao reassumir a presidência da Sociedade Operária Beneficente, em 1934, a transformou em uma associação comunista.
      Também há notícias da existência de outras associações em Passo Fundo, como é o caso do Centro dos Trabalhadores de Passo Fundo (fundada no dia 29 de junho de 1913), que provavelmente seria uma entidade influenciada pelos anarco-sindicalistas, uma vez que era uma das 20 associações filiadas à Federação Operária do Rio Grande do Sul (FORGS), anarquista, em 1913. Segundo a historiadora Sílvia Petersen, o Centro dos Trabalhadores de Passo Fundo possuía cerca de 40 sócios e chegou a enviar dois delegados (Antônio Cardoso e Adolfo Varela) ao 2º Congresso Operário da Confederação Operária Brasileira, realizado em 1913 no Rio de Janeiro. Entretanto, não há informações sobre o tempo de duração dessa associação.  
    Ademais, também há informações sobre a criação da Liga Comunista de Passo Fundo, em virtude da influência da Revolução Russa de 1917 no movimento operário sul-rio-grandense, cujos primeiros efeitos foram o surgimento de organizações operárias que se denominavam comunistas.
      Igualmente prejudicada pela ausência de fontes está a Associação dos Ferroviários (que era uma espécie de filial da associação/sindicato de Santa Maria), assim como também acerca das mobilizações dos trabalhadores locais até meados da década de 1920. Nesse sentido, convém lembrar que há notícias de apenas três greves na cidade: a greve dos ferroviários de 1917, 1919 e 1920.

Nenhum comentário: