quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

1838 - Samuel Morse demonstra o telégrafo



Originalidade de Morse como inventor do telégrafo foi questionada, assim como a de seu código que não diferia muito de códigos publicados anteriormente
Em 6 de janeiro de 1838, Samuel Morse demonstrou pela primeira vez o seu principal invento, o telégrafo, na Metalúrgica Speedwell, em Nova Jérsei, nos Estados Unidos. O telégrafo, aparelho que utiliza impulsos elétricos para transmitir mensagens codificadas através de um cabo, revolucionaria a comunicação de longa distância, atingindo o auge de sua popularidade nas décadas de 1920 e 1930.

Samuel Finley Breese Morse nasceu em 27 de abril de 1791, em Charlestown, Massachusetts (EUA). Freqüentou a Universidade Yale, demonstrando interesse em artes e em eletricidade, ainda nos primeiros anos. Após a faculdade, Morse tornou-se pintor. Estudou artes plásticas na Inglaterra e, ao regressar aos EUA, alcançou considerável reputação como pintor de retratos, tornando-se um dos fundadores da Academia Nacional de Desenho e, posteriormente, professor de Belas Artes.  Em 1832, viajando de navio da Europa para os EUA, tomou conhecimento das novidades no campo da eletromagnética, em especial a idéia de André-Marie Ampère para um transmissor elétrico, veio-lhe à mente construir um telégrafo elétrico. Na época, Morse não tinha a menor idéia de que outros inventores já estavam trabalhando com esse conceito.

Morse levou muitos anos desenvolvendo um protótipo. Chamou dois amigos, o físico Leonard Gale e o mecânico Alfred Vail, para ajudá-lo. Em 1838, demonstrou o seu invento, servindo-se de um código (o Código Morse) em que pontos e traços representavam letras e números.

Em 1843, Morse finalmente convenceu o Congresso dos EUA a financiar a construção da primeira linha telegráfica no país, de Washington a Baltimore. Em maio de 1844, Morse despachou o primeiro telegrama oficial por cabo, com a mensagem: “What hath God wrought!" (O que Deus obrou). A originalidade de Morse como inventor do telégrafo foi bastante questionada na França, no Reino Unido e na Alemanha, assim como a de seu código que não diferia muito de códigos publicados anteriormente.

FlickrCC/Public.Resource.Org

Telégrafo utilizado por Morse para enviar a mensagem "What hath God wrought!"

Ao longo dos anos seguintes, companhias privadas, servindo-se da patente de Morse, estenderam linhas telegráficas em todo o nordeste do país. Em 1851, foi fundada a companhia telegráfica New York and Mississippi Valley Printing, que mais tarde mudaria seu nome para Western Union. Em 1861, a empresa concluiu a sua primeira linha transcontinental através dos EUA. Cinco anos depois, foi construída a primeira linha permanente bem-sucedida através do Oceano Atlântico e no final do século sistemas telegráficos já estavam instalados na África, na Ásia e na Austrália.

Como as companhias telegráficas cobravam por palavra, tornou-se comum falar-se de "linguagem telegráfica", caracterizada por texto bastante sucinto, sem importar se continham boas ou más notícias. A palavra stop (pausa) que não era cobrada, constumava ser utilizada em lugar de toda uma frase, dependendo da combinação prévia entre o emissor e o receptor. Em 1933, a Western Union introduziu os telegramas sonoros, com músicas dedicadas a datas especiais como o Natal. Durante a Segunda Guerra Mundial, os norte-americanos tinham verdadeiro pavor com a chegada dos carteiros da Western Union, já que as forças armadas utilizavam o telegrama para avisar as famílias da morte de soldados.

No decurso do século XX, as mensagens telegráficas foram sendo amplamente substituídas pelas ligações telefônicas de longa distância, mais baratas, em que se podia dialogar imediatamente e tratar de muitos assuntos mais longamente, pelo fax e, mais recentemente, pelo correio eletrônico (e-mail). A Western Union despachou seu último telegrama em janeiro de 2006.

Samuel Morse morreu rico e famoso em Nova York em 2 de abril de 1872, aos 80 anos.
Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário: