domingo, 6 de março de 2016

1869 - Mendeleyev apresenta a tabela periódica


Trabalho de Mendeleyev surpreendeu, visto que foi realizado numa época em que muitos elementos naturais, como gases nobres, ainda eram desconhecidos
Em 6 de março de 1869, o químico Dmítri Ivânovitch Mendeleyev apresenta à Sociedade de Química da Rússa sua “classificação periódica dos elementos”, com os 63 elementos químicos então conhecidos, o que permitiu descobrir que as propriedades químicas de cada elemento se repetem a intervalos regulares. A invenção revolucionaria o mundo da química e os novos elementos que viriam a ser descobertos encontrariam naturalmente seu lugar na tabela periódica.

Na o esquema gráfico de Mendeleyev, todos os elementos de uma mesma coluna apresentam propriedades comparáveis. Um pré-requisito necessário para a construção da tabela foi a descoberta individual dos elementos químicos, embora alguns, como ouro (Au), prata (Ag), estanho (Sn), cobre (Cu), chumbo (Pb) e mercúrio (Hg) já fossem conhecidos desde a Antiguidade. A primeira descoberta científica de um elemento ocorreu em 1669, quando o alquimista Henning Brand descobriu o fósforo.

Durante os 200 anos seguintes, um grande volume de conhecimento relativo às propriedades dos elementos e seus compostos foi adquirido pelos químicos. Com o aumento do número de elementos descobertos, os cientistas iniciaram a investigação de modelos para reconhecer as propriedades e desenvolver esquemas de classificação. A primeira delas foi a divisão dos elementos em metais e não-metais. Isso possibilitou a antecipação das propriedades de outros elementos, determinando assim, se seriam ou não metálicos.

Wikicommons

Retrato de Dmítri Mendeleyev

Mendeleyev nasceu em Tobolsk, na Sibéria, em 1834. Faz doutorado na Universidade de São Petersburgo, onde começou a lecionar em 1866. O conceito de periodicidade química deve seu desenvolvimento, em especial, a ele e ao químico alemão Lothar Meyer. Trabalhando independentemente, chegaram a uma correlação mais detalhada sobre as propriedades dos elementos e suas massas atômicas. Isso proporcionou uma melhor visualização da periodicidade das propriedades dos elementos.

Vários outros cientistas contribuíram para que se chegasse à classificação periódica dos elementos, mas o trabalho de Mendeleyev destacou-se por ser o mais completo e ousado. Iniciou sua pesquisa ao desenvolver o trabalho de professor, quando sentiu a necessidade de organizar os dados da química inorgânica e começou a colecionar todas as informações sobre os elementos conhecidos na época. Mendeleyev anotava os dados em cartões e os fixava na parede de seu laboratório. À medida que observava alguma semelhança, simplesmente mudava a posição dos cartões. Aos poucos, o quebra-cabeça deu origem a uma tabela na qual os elementos eram dispostos em filas horizontais, de acordo com as massas atômicas crescentes, e colunas verticais, com elementos de propriedades semelhantes agrupados.

Sentindo-se muito seguro da validade de sua classificação, o químico deixou posições vazias na tabela, dedicada a elementos desconhecidos. Com precisão surpreendente, ele previu as propriedades destes quando viessem a ser conhecidos. Para isso, utilizou como base as propriedades dos elementos vizinhos.

O trabalho desenvolvido por Mendeleyev surpreendeu, visto que as pesquisas foram realizadas numa época em que muitos elementos naturais, como os gases nobres, ainda eram desconhecidos. Não se conheciam a estrutura atômica e os números atômicos utilizados na organização dos elementos da tabela atual. Somente em 1913 Henry G. L. Mosely estabeleceu o conceito de número atômico. Contudo, essa descoberta não provocou grandes alterações na classificação dos elementos feita por Mendeleyev, apenas alguns rearranjos.

Até hoje, Dmítri Mendeleyev é considerado pela comunidade científica um dos maiores gênios da química. Em homenagem a ele, o elemento atômico nº 101 da tabela periódica recebeu, em 1955, o nome de mendelévio (Md).
Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário: