terça-feira, 1 de novembro de 2016

Curso de (re) alfabetização visual é ministrado na UPF









A Universidade de Passo Fundo (UPF), por meio do apoio do curso de História, recebeu, nesta terça-feira, 1º de novembro, o curso “(Re) alfabetização visual - o poder didático da linguagem dos quadrinhos”. A atividade, destinada a professores, quadrinistas, publicitários, designers e roteiristas, foi ministrada por Lobo, que é roteirista de histórias em quadrinhos. O evento aconteceu na sala 231 do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), prédio B4, Campus I.
A (re) alfabetização visual é uma poderosa ferramenta educativa, capaz de abrir infinitas possibilidades e expandir horizontes. Desde pequenas, as pessoas têm o impulso de usar o desenho como forma de expressão, e todas estão capacitadas a fazê-lo. Na infância, as crianças são estimuladas a desenhar até o período da alfabetização. Nesse momento, há uma ruptura, quando a criatividade dos desenhos é substituída pela linearidade da escrita. O desenho, então, passa a ser apenas um passatempo. Desestimuladas, a maioria das pessoas para de desenhar entre a idade de 7 a 10 anos. “Se todos continuassem a desenhar, claro que não seríamos desenhistas profissionais, mas a habilidade seria potencializada. Um desenho é mais funcional do que a escrita. Vivemos num mundo cada vez mais visual e as crianças não estão sendo treinadas para isso”, comentou Lobo.
A proposta, realizada em várias cidades, tem estimulado o uso pedagógico dos quadrinhos em sala de aula e promove um resgate à prática da leitura e produção visual com o objetivo de desenvolver qualidades comunicativas gráfico-narrativas e de tirar proveito delas. A linguagem da história em quadrinhos é uma das mais completas e dinâmicas ferramentas da comunicação, conjugando no mesmo objeto a palavra e a imagem, o espaço e o tempo, a forma e o conteúdo. Além disso, como instrumentos didáticos, as HQs e recursos como cartuns, charges, caricaturas, entre outros, potencializam o olhar crítico dos estudantes, dinamizando também o cotidiano nos espaços de aprendizagem.
O curso foi ministrado por Lobo, que foi curador da Bienal de Quadrinhos de Curitiba, em 2016. Foi convidado do Salão do Livro de Paris, em 2015, ano em que o Brasil foi o país homenageado. É um dos responsáveis pela websérie no Youtube “Quadrinhos para Barbados”. Roteirista de histórias em quadrinhos, publicou o álbum “Copacabana”, em 2009, com desenho de Odyr Bernardi, pela Editora Desiderata, e, em 2015, pela Aeroplano Editora, publicou a segunda edição dessa obra. Ministra diversos cursos e oficinas de roteiro, quadrinhos e autopublicação. Foi editor das editoras Desiderata e Barba Negra e um dos diretores das duas edições do Rio Comicon.

Nenhum comentário: