quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

537 - Imperador Justiniano I inaugura a nova basílica de Santa Sofia


Em 23 de fevereiro de 532, dias depois da destruição da 2ª basílica, decidiu-se construir outra, completamente diferente
O imperador Justiniano I, juntamente com o patriarca Eutíquio de Constantinopla, inauguraram a basílica de Santa Sofia em 27 de dezembro de 537 com pompa e circunstância.
Em 23 de fevereiro de 532, apenas alguns dias depois da destruição da segunda basílica, Justiniano I decidiu construir uma terceira, completamente diferente, maior e muito mais majestosa que as suas antecessoras.

Wikimedia Commons

Basílica de Santa Sofia foi construída no Império Otomano
Justiniano escolheu o médico Isidoro de Mileto e o matemático Antêmio de Trales como arquitetos, mas Antêmio morreu ainda no primeiro ano da empreitada. A construção foi descrita na obra "Sobre Edifícios" do historiador bizantino Procópio. O imperador mandou buscar materiais de construção de todo o império - colunas helênicas retiradas do Templo de Ártemis, em Éfeso - uma das Sete Maravilhas do Mundo - , grandes blocos de pórfiro de pedreiras no Egito, mármores verdes da Tessália, pedras negras do Bósforo e amarelos da Síria. Mais de 10 mil pessoas foram empregadas na construção. A nova igreja foi logo reconhecida como um grande feito de engenharia e arquitetura. Santa Sofia se tornou então a sede do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla e o local preferido para realização de cerimônias oficiais do Império Bizantino.
A Basílica de Santa Sofia, também conhecida como Hagia Sophia (Sagrada Sabedoria) é um imponente edifício construído entre 532 e 537 pelo Império Bizantino para ser a catedral de Constantinopla, atual Istambul, Turquia. De 1204 a 1261 foi convertida em catedral católica romana durante o Patriarcado Latino de Constantinopla que se seguiu ao saque da capital imperial pela Quarta Cruzada. O edifício foi uma mesquita entre 1453 e 1931, quando foi secularizada. Reabriu como museu em 1º de fevereiro de 1935. 
A igreja foi dedicada ao Logos, a segunda pessoa da Santíssima Trindade, com a festa de dedicação realizada em 25 de dezembro, data em que se comemora o Nascimento de Jesus, a encarnação do Logos em Cristo. Embora seja chamada de "Santa Sofia", como se fosse dedicada a Santa Sofia, sophia é a transliteração fonética em latim da palavra grega para "sabedoria".
Arquitetura
Famosa principalmente por sua enorme cúpula, é considerada o epítome da arquitetura bizantina e é tida como tendo "mudado a história da arquitetura." Foi a maior catedral do mundo por quase mil anos, até que a Catedral de Sevilha fosse completada em 1520.

Wikimedia Commons
A igreja continha uma grande coleção de relíquias e tinha, entre outras coisas, uma iconóstase de 15 metros de altura em prata. Era a sede do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla e o ponto central da Igreja Ortodoxa por quase mil anos. Foi ali que o cardeal Humberto excomungou, em 1504, o patriarca Miguel I Cerulário, iniciando o Grande Cisma do Oriente, que perdura até hoje.

[Detalhe da cúpula da basílica]
Em 1453, Constantinopla foi conquistada pelo Império Otomano chefiado pelo sultão Mehmed II que em seguida ordenou que o edifício fosse convertido numa mesquita. Os sinos, o altar, a iconóstase e os vasos sagrados foram removidos e diversos mosaicos, cobertos por emplastro. Diversas características islâmicas, como o mihrab, o minbar e os quatro minaretes, foram adicionadas durante esse período. Permaneceu como mesquita até 1931, quando Kemal Ataturk ordenou que fosse secularizada. Permaneceu fechada ao público por quatro anos e reabriu em 1935 já como museu da recém-criada República da Turquia. Não obstante, os mosaicos coloridos remanesceram emplastrados na maior parte, e o edifício deteriorou-se.
Uma missão da Unesco em 1993 notou queda do emplastro, revestimentos de mármore sujos, janelas quebradas, pinturas decorativas danificadas pela umidade e falta de manutenção na ligação da telhadura. Desde então a limpeza, a telhadura e a restauração têm sido empreendidas. Os excepcionais mosaicos do assoalho e da parede que estavam cimentados desde 1453 estão sendo agora escavados gradualmente.
Fonte: Opera Mundi

Nenhum comentário: