segunda-feira, 20 de março de 2017

Curso de História no Projeto Rondon – Operação Tocantins 2017




            “O Brasil além dos livros”, essa foi uma das frases mais repetidas pelos responsáveis do Projeto Rondon e que resume muito bem a experiência de mais de 15 dias na Operação Tocantins. Nós não apenas conhecemos uma realidade diferente, mas pudemos viver e em certa medida intervir nela.
            O grupo da UPF que participou do Projeto era composto por estudantes de diversas áreas (Nutrição, Geografia, Educação Física, Odontologia, Enfermagem, Psicologia, Biologia e História), o que possibilitou um trabalho interdisciplinar de capacitação de agentes multiplicadores de conhecimento no município de Divinópolis do Tocantins. Nossas ações atenderam professores da Educação Básica, agentes de saúde, estudantes, merendeiras e a população em geral. Além do grupo da UPF, a equipe que realizava a operação em Divinópolis era formada pelos estudantes da UNIPAM - MG.
            No entanto, mais do que ensinar, nós aprendemos. Desde que nos tornamos rondonistas a aprendizagem foi constante: os estudos e preparação das oficinas em Passo Fundo; os diálogos com estudantes de universidades de todo o país enquanto estávamos em Palmas; a experiência adquirida das oficinas; o intercâmbio acadêmico; a aproximação do conhecimento acadêmico com a comunidade; a vivência no município e o processo de nos tornarmos parte da comunidade de Divinópolis.
            O Projeto Rondon como bem diz seu lema é “uma lição de vida e cidadania”. Uma lição que oportunizou a difusão de conhecimentos acadêmicos e sua transposição para a realidade, permitiu a interação com culturas diferentes, e o mais importante, a vivência com pessoas. Participar do Projeto Rondon foi de uma intensidade e profundidade indescritível, contribuindo muito para minha formação acadêmica, mas principalmente para minha formação como ser humano.


Bruna Zardo Becker

Rondonista e acadêmica do VII nível de História - UPF


Nenhum comentário: